sexta-feira, 12 de outubro de 2007

QUANDO OS DA SUA PRÓPRIA CASA NÃO PODEM PARTILHAR DA MESMA FESTA QUE VOCÊ


Venho de uma família cristã que teve sua vida e sua existência ligada à igreja evangélica. Meu pai era presbítero da igreja Metodista, minha mãe também cresceu no meio cristão e sempre se dedicou aos serviços e estilo de vida cristão e eu fui criado e ensinado segundo tudo isso, o que contribuiu para imensas dores nos dias de hoje quando enfim conheci a leveza do Evangelho. Digo "dores" por causa das dores da gestação da Verdade em mim, dores de parto, dores de quem está pra conceber um novo ser, uma nova consciência, não mais segundo as performances assumidas pelo pacote comportamental religioso cristão, mas segundo o Espírito de Cristo que carrega consigo a leveza da Graça e da Verdade.

Os evangélicos sabem que "matar" é errado, que "prostituir" é pecado, e que um monte de coisas, que o intitulado "mundo" que eles tanto dizem a seu respeito, oferecem, de fato não fazem bem para a alma. Sabem que é preciso ser transformado, é preciso arrependimento, mas não conhecem o Espírito de Deus. É Ele quem dá o crescimento daqueles que caminham no caminho da vida, é Ele quem traz o arrependimento para a vida para que se tenha Vida, é Ele quem transforma o ser de glória em glória à semelhança de Cristo de modo que a transformação se faz notar como algo não humano mas divino, pois, se reconhece que tal transformação só pode ser feita no espírito pelo Espírito que é Bondade e Amor, e Perdão. Se conclui tal coisa posto que o homem é mau, e tal feito não poderia ser feito por ele, pois, o que nele há é só morte:

ROMANOS 3:
10
Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer.
11
Não há ninguém que entenda; Não há ninguém que busque a Deus.
12
Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram inúteis. Não há quem faça o bem, não há nem um só.
13
A sua garganta é um sepulcro aberto; Com as suas línguas tratam enganosamente; Peçonha de áspides está debaixo de seus lábios;
14
Cuja boca está cheia de maldição e amargura.
15
Os seus pés são ligeiros para derramar sangue.
16
Em seus caminhos há destruição e miséria;
17
E não conheceram o caminho da paz.
18
Não há temor de Deus diante de seus olhos.
19
Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus.
20
Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado.


Sim, há apenas morte. A morte de achar por sí mesmo "encontrado"; a morte de achar por sí mesmo justificado; a morte de pensar por sí mesmo entendido acerca de Deus; a morte de pensar por sí mesmo conhecer Aquele que é conhecido à quem Ele se dá a conhecer; a morte de dizer por sí mesmo conhecedor do bem e do mal. De fato "não conheceram o caminho da paz".

Os cristãos conhecem a Lei, são conhecedores do pecado mas não da Graça que superabunda a abundância do pecado; não conhecem o Amor que excede a qualquer transgressão humana; eles tem a informação de que há um arrependimento, mas nunca se deixaram embalar nos braços de Deus para que de fato provassem a vida como Vida, e não como negação dela; acreditam na auto-transformação que gera paranóia e neurose que só traz doença, não crêem de fato no Espírito de Deus que transforma quem quer que seja no compasso em que a vida é tocada, sem as pressas dos pragmáticos, sem as neuroses dos religiosos, pois, o Espírito é como o vento que não se sabe de onde vem nem para onde vai, e o trabalho dos religiosos é tentar discernir tudo isso para o qual não fomos chamados, mas quem de fato crê no Evangelho, no Espírito de Deus, não fica preocupado com o "quando", "como", "porque", "pra quê", apenas crê que Ele sabe de todas as coisas. Quem tem essa fé apenas descansa Nele, que transforma todas as coisas em bem para a vida e para a sensatez do ser.

Os cristãos deveriam saber isso, que Deus é Deus e não um coitado que cria e depois não "da conta do recado", como diz as expressões populares. Deveriam saber que foi Ele quem trouxe o "existir" à existência, sendo assim, a vida provém Dele e Ele não tem medo da vida, nem de coisa alguma, não há nada que ele não conheça, não há nada que o surpreenda, não há nada que não esteja sob e sobre suas mãos. Os cristãos deveriam saber que Deus é Amor e que não existe" o "mas", esse "mas" que se desfaz da Graça, que se desfaz da Cruz, que se desfaz de Cristo, esse "mas" é o próprio Diabo, pois, "se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça" (Romanos 11:6a), "mas agora se manifestou sem a lei a justiça de Deus, tendo o testemunho da lei e dos profetas; Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que crêem". (Romanos 3: 21-22a).

Sim, o "mas" é resultado do medo que vem pela falta de fé Nele, é a alegação de que Cristo não foi suficiente ao contrário do que eles confessam com os lábios, ainda menos "único". O "mas" que provém da insegurança de quem não descansa na Verdade de que Cristo reconciliou o homem a Deus, e que Nele estão perdoados os pecados sejam quais forem, e quanto ao que Cristo fez na cruz não há o que acrescentar, está consumado, está feito, acabou. O mundo acabou na Cruz de Cristo, na Amor do Pai revelado no Filho. O Juíz e o Advogado se entenderam e a Paz foi estabelecida para sempre de modo que não há nada entre Deus e o homem, nem pecado, nem morte, nem inferno, nem coisa alguma poderá separar seja quem for do Amor do Pai em Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador.

Sim, os cristãos deveriam saber disso, que o "mas" é o medo, e que o medo implica em castigo, mas quem está em Cristo conheceu o Amor e Nele foi lançado fora todo o medo brotando a consciência e a confiança de que Nele não há punição mas Paz e Reconciliação Eterna. Sim, Eterna porque foi estabelecida Nele e isso não depende de nós, é Dele a Salvação dada ao mundo e Nele ela se sustenta, apenas Nele.

Ah! Se os cristãos soubessem disso! Dançariam em Paz e Santidade, cantariam a alegria da Salvação, amariam a vida como um dom dado por Deus, chorariam de felicidade!

Se eles soubessem disso, aí sim, minha casa serviria ao Senhor sem mesmo saber o trabalho que faz, no entanto, hoje, canto e danço, e festejo sozinho.

Eles aprenderam coisas do tipo "certo e errado"! Ah! Se ao invés disso tivesse aprendido a se alegrar e descansar Nele.

Cristãos! Aprendam a alegrar-se Nele, e dancem...

Nele, em quem não estou só, nunca.

Nenhum comentário:

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...