terça-feira, 6 de novembro de 2007

... E O FIM DA VIDA SERÁ ELA MESMA


E a vida segue assim, sem rumos, sem destinos, enfim, sem fins.

Não há lugares geográficos-existenciais a ser conquistados, de onde eu possa de lá dizer: "Agora eu vou ser feliz". Não. Ou se assume a felicidade no dia chamado "Hoje", ou se vive em desespero e ansiedade do amanhã tendo em mente a doce ilusão de que "chegar a tal lugar" fará tal pessoa "feliz". Mas não é assim. Tal lugar está carregado de projeções psicológicas, transferências que se faz a fim de se ter um objetivo, um motivo, ou mesmo razão para que a vida faça sentido, para que a vida tenha um fim-destino em que se possa dali em diante ser feliz para sempre. Esse lugar não existe, aliás, o amanhã não existe senão para quem investe suas preocupações nele. Há somente o "Hoje", e é somente o que há.

Não há lugares para se chegar, não há destinos chamados "lugar da felicidade", a vida não há "objetivos" que não seja ela mesma.

Vamos supor que, pela realidade capitalista de hoje, "ser rico" fosse o motivo da existência. Então quem já é rico poderia zombar de toda a ralé pobre, pois, se a vida tem esse objetivo o rico já está nesse lugar-geográfico-existencial no qual já, agora, desfruta da plenitude, do ápice, da vida. Ele sim poderia dizer "sou feliz", diferentemente do pobre que teria que trabalhar em função da busca e conquista de tal "objetivo", posto que é lá que está a tal "felicidade", no entanto, provavelmente, trabalharia ele até o fim dos dias da sua vida em função dessa busca, e, se conquistada, quem desfrutaria do bem conquistado seria seu filho. Daí então chegaríamos à conclusão de que o indivíduo trabalhou a vida toda em desespero para se conquistar tal "lugar-de-plenitude", mas ao chegar "lá" não não há mais como desfrutá-lo. Viveu todos os dias da sua vida em vão.

Suponhamos que o fim para o qual concorre a vida fosse o casamento. Saberíamos a partir daí fazer distinção dos "felizes-casados" o dos desgraçados solteiros, separados, ou viúvos. Se a vida se resumisse na "realização pessoal", a partir daí também poderíamos traçar um linha entre os "felizes-realizados" e o resto-frustrado.

Mas não é assim. Para o bem da humanidade Deus criou a vida livre de todo esse engano. Nada disso assegura que o ser seja feliz ou não. A vida transcende em muito a tudo isso. O que se vê são ricos felizes e também infelizes, pobres felizes e infelizes, pessoas realizadas felizes e também frustradas. Essa consciência esmagaria com um poder imensurável essa realidade de hoje, de que, se eu possuo o carro do ano, tenho a roupa da moda, o "tipinho" do cara ou da garota legal, o emprego respeitado pela sociedade, a faculdade "ideal", o "amor" ideal, enfim, esses moldes não asseguram e nem provam nada, apenas afligem o coração com um monte de falsos ideais e falsas idéias do qual se promete a segurança de estar vivendo em plena satisfação e felicidade enquanto na verdade não possuem valor algum diante da Verdade.

De fato, como diz um amigo, "a vida não se encontra numa garrafa", num recipiente, num envólucro, num lugar exato com endereço fixo em que se possa dizer daquele que lá chegou: Ele é feliz. Não, de fato, não há esse lugar. Qualquer lugar conquistado, alcançado, não possui em sí o poder da vida, o poder de resolução como muitos constumam dizer "preciso resolver minha vida", com muita ansiedade e desespero de que a vida precisa ter algum fim, um suposto objetivo pleno.

A vida prossegui livre como o vento, suave como a brisa, sem esses desesperos e paranóias mesmo após se ter alcançado o tal lugar desejado, seja um sonho realizado, uma faculdade terminada, enfim, seja o que for, a vida continua sem fins.

Daí o motivo de ninguém poder se julgar mais feliz do que o outro, mais pleno de satisfação do que o outro, pois, a vida não tem esses moldes, essas fôrmas. Ela é o que é, a vida é tudo e tudo é vida, isso se de fato há vida no ser que a diz possuir.

Cristo fala acerca do "olhar com bons olhos". Sim, é preciso olhar com bons olhos, olhos tais que possuem o coração e a partir deles e dele se enxerga a vida do lado de fora.

"Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida". Provérbios 4:23.

Creio que aí está o segredo de uma vida sem as ansiedades geradas pelo mundo hoje: Guardar o coração. Sim, é no coração que se conquista a coisas incorruptíveis, segundo Cristo, as quais nem ladrões podem roubar, nem as traças roerem, nem a ferrugem possa destruir, essas são as coisas que de fato tem valor para a vida, as que são conquistadas no coração, pois, esse é o lugar da conquistas eternas da mesma forma que também pode ser o lugar dos abismos eternos. Por isso é preciso cuidar do coração "Hoje" por ser nele e dele que procedem as fontes da vida. Se nele há vida, tudo do lado de fora será vida, posto que havendo vida dentro, só poderá haver vida fora, pois, aos olhos interiores é só o que há, e olhando-se para fora não há como enxergar outra coisa senão, também, vida. Se no coração houver vida, do lado de fora só haverá o que estiver dentro. O contrário também é verdadeiro, se há morte do lado de dentro, também assim o será do lado de fora, afinal, "A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo teu corpo terá luz; se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas!". Mateus 6: 22-23.

As fontes da vida vem do lado de dentro, do coração. Os bons olhos vêem do coração e nele habita o bem ou o mal que vejo. É nele que se encontra as fontes para se ter Paz no dia chamado "Hoje", e se ouvirdes a Voz não endureçais o coração, pois, muitos chegarão ao final de suas vidas e descobrirão que o "fim" que procuravam era a própria vida; Chegarão lá e não terão mais o mesmo vigor que se tem hoje, lamentarão apenas esse dia por não se ter mais, nele, contentamento, pois, passou sua vida toda a procurando sendo que ela está intrínseca no ser o tempo todo.

Embora, eu fale nesse texto o tempo todo sobre a vida, não é tão simples assim, pois, mesmo diante da vida é preciso que se tenha Vida. O CAMINHO é Cristo, A VERDADE é Cristo, A VIDA para a vida é Cristo, e não é necessário ler toda a bíblia, saber tudo de teologia ou filosofia, ou seja lá o que for, basta crer que, em Cristo, Deus reconciliou a humanidade consigo mesmo por pura Graça. É um dom de Deus apenas dado a quem quiser "Hoje" assumir essa consciência nas vísceras do ser e ter, ainda hoje, um pouco de Paz. Pois é nessa Paz que se tem Vida para a vida.

Apenas creia e caminhe!

Nele (Cristo), em quem meu coração se apazigua diante de qualquer desespero.

Nenhum comentário:

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...