terça-feira, 27 de novembro de 2007

ESPERANDO? O QUE?


Ei! Porque esperas encontrar no horizonte o infinito universo interior?
Porque esperas achar nos olhos da pessoa amada a beleza que há dentro de ti mesmo?
Porque esperas alcançar lugares-existencialmente-geográficos onde encontrarás felicidade?
Porque buscas fora o que só poderá ser encontrado dentro?

Não. Não caminho pela vida porque encontrei nela um motivo para caminhar, mas achei em mim um novo caminho e por ele caminho por onde for sem sair do lugar. Não olho para as belas montanhas e vales, flôres e árvores, terra e mares buscando neles uma essência que me traga vida, mas sobre eles lanço a vida que há nos olhos do meu coração não esperando encontrar neles o que já não há dentro de mim. Vou sem saber para onde, porque "onde" não importa, importa apenas que eu vá, pois, não há lugar ou lugares de e onde poderei dizer "cheguei ao meu destino!", de fato não. Não há destinos, há apenas o caminho da vida e na vida, isso, porque a vida se fez eterna e "destinos" são lugares onde a vida deveria terminar. Vivo em eternidade os pequenos momentos que me são dados por Deus, momentos sem fins e sem fim, sem destinos e sem lugares fixos, apenas caminho o caminho que é a vida mesmo, e como diria Drummond, "a vida apenas, sem mistificações".

Sim. Sou humano, portanto, não sou perfeito embora busque a perfeição como alguém que conscientemente sabe que nunca se chegará à sua plenitude. Tenho, por vezes, recaídas de um humano qualquer "caído". Me pego perguntando "qual o sentido da vida?", ou, "onde tudo isso vai dar?", mesmo com a consciência de que a vida não tem outro sentido que não ela mesma, e lugares onde se chegar não existem senão o lugar do próprio coração. Penso que ninguém deveria se perguntar coisas do tipo "quando serei feliz?", porque o "quando" se refere a um "lugar" estabelecido a partir de um determinado momento ou acontecimento. Não passam de projeções impostas a sí mesmo com o intuito de se auto-enganar achando que será "feliz" a partir de algo: Uma conquista, um graduação, um bem adquirido; enfim, como tenho dito, não há razões de buscar fora o que só poderá ser encontrado do lado de dentro. Nenhuma dessas coisas tornam o ser "feliz", por isso disse que ninguém deveria se perguntar "quando serei feliz?", porque a "felicidade" está mais próxima do que se imagina: A Paz interior!

Sim. Vivo em Paz com minhas angústias e alegrias, com minhas imperfeições, com meus erros e acertos, com as estações da vida, com minhas dores e prazeres, com minhas derrotas e conquistas. Vivo feliz não pela felicidade em sí, mas por estar em Paz com todas essas coisas, pois, o que produz a "felicidade" não é a própria felicidade, mas a Paz que habita o interior, "ser feliz" é apenas uma consequência!

Todas essas buscas e aflições tem a ver com o "Amanhã", mas o único dia que há é o "Hoje", pois, o "Amanhã" nunca existiu e nunca existirá para que o "Hoje" aconteça sempre.

Nele, em quem tenho Paz independente de qualquer felicidade ou angústia.

Nenhum comentário:

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...