terça-feira, 4 de setembro de 2007

"PORQUE VOCÊS ESTÃO PENSANDO ASSIM?"

A cena é de pura e intensa expectativa. Jesus havia vindo de um caminho de milagres realizados por ele mesmo. A multidão viu e ouviu que Ele andara curando doenças de vários tipos, como diz as Escrituras. Posto diante d'Ele estava um homem em sua maca, um paralítico, levado até ali por outros homens. Ali havia fariseus e mestres da lei vindo de muitos lugares, uma multidão. Seus olhos estavam fitos em Jesus; seus pensamentos o interrogavam em palavras e em silêncios, questionavam o tempo todo. Mas, naquela hora, talvez, houve um silêncio em suas almas. Jesus e o paralítico.

O texto das Escrituras diz que Jesus proferiu as seguintes palavras: "Homem, os seus pecados estão perdoados".

Com certeza não era o que aquela multidão esperava, e talvez, também não seja o que esperamos d'Ele. Eles pareciam preferir o espetáculo, os milagres da qual ouviram serem realizados por Cristo. Não esperavam ouvir tais palavras, talvez, não fizesse sentido existencial algum para eles, preferiam a cena do Poder à do Perdão.

Sugeriram em suas mentes que Jesus era um blasfêmo, pois só Deus perdoava pecados. O texto diz que "Jesus sabendo o que eles estavam pensando, perguntou: Porque que vocês estão pensando assim? Que é mais fácil dizer: 'Os seus pecados estão perdoados'; ou: 'Levante-se e ande?'".

Essa é a pergunta que sonda o ser até o âmago: Porque continuamos pensando assim?

Porque continuamos pensando que é blasfêmia ouvir Jesus dizer à prostituta "Mulher, seus pecados estão perdoados"?;

Porque continuamos pensando que é blasfêmia ouvir Jesus dizer à adúltera, seja qual for, a da Bíblia ou não, "Mulher, seus pecados estão perdoados"?;

Porque continuamos pensando que é blasfêmia ouvir Jesus dizer ao ladrão na cruz, ou num presício, ou qualquer lugar que esteja, "seus pecados estão perdoados"?;

Porque continuamos pensando que é blasfêmia ouvir Jesus orando "Pai, perdoa-lhes pois não sabem o que fazem" pelos que o crucificaram e continuam o crucificando até hoje? E ainda perguntamos: será que eles não sabiam mesmo?;

Porque continuamos pensando que é blasfêmia ouvir Jesus dizer a Nero, que incendiou cidades e casas com gente dentro delas, e tudo por seus próprios interesses, "Homem, seus pecados estão perdoados"?;

Porque continuamos pensando que é blasfêmia ouvir Jesus dizer a Hitler, que matou mais de 6 milhões de judeus em nome de Deus, afirmou que havia uma raça divina e que todas as outras deveriam ser extintas da existência, "Homem, seus pecados estão perdoados"?;

Porque continuamos pensando que é blasfêmia ouvir Jesus dizer aos rapazes, que arrastaram um garoto por kilômetros de um carro até a morte, "Homens, seus pecados estão perdoados"?;

Porque continuamos pensando que é blasfêmia ouvir Jesus dizer aos religiosos, que matam, roubam e destroem, "vocês estão perdoados"?;

Porque o consideramos blasfêmo toda vez que o ouvimos dizer a nós mesmos "seus pecados já foram, estão, e serão sempre perdoados"?;

Porque o consideramos blasfêmo quando ouvimos Ele dizer: "Está consumado."?
Do que temos medo?
Do perdão? Do Amor? De Deus?

Blasfêmia tudo isso?


"Porque estão pensando assim?".


Nele, em quem meus pensamentos se calam diante do poder do seu Amor revelado na Cruz, que de fato, excedeu todo o meu entendimento.

Nenhum comentário:

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...