segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

ENTREMENTES EXISTÊNCIA – (parte 6)

Ah! Menina dos olhinhos pequenos
Foi tentando me salvar dentro de ti
Que me perdi, me destruí
Estive no inferno a céu aberto
Vi satanás bem de perto
Vi queimar o fogo eterno
No coração, no peito, no rim
Tudo tão cambaleante,
Alteradores de consciência
Esse amor que odeio
Essa doença eterna
Já procurei a porta da saída
Mas essa existência é um quarto sem porta
Sem janela
Claustrofobia
Até que a morte nos separe
Estamos casados nessa prisão
Em vão correrei pelas ruas
O mundo todo é uma ilha
A milhas de qualquer lugar
- Alguém me ajude
Você pode me ajudar?
Heim? Você também está preso?
Não consegue sair?
Venha aqui
Pode ser que juntos abramos uma porta aqui mesmo
Não? Não acreditas? Então vá meu caro
Deixe-me aqui, ainda tenho o meu caco para me raspar
Minha língua para salivar sobre a purulência dessa ferida
Me deixe aqui só
Só me deixe e se puder volte logo
Se não puder é melhor não vir
Saberás se pode
Ainda podes voltar a crer
De que vale ganhar o mundo inteiro
E perder a sua alma?

Nenhum comentário:

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...