quarta-feira, 26 de março de 2008

SOU DESTA TERRA

Não tenho para onde ir
Sinto, sinceramente, que esse aqui é o meu lugar
A Terra, minha terra, meu chão
Minha casa, “lar doce lar”

Não faço questão de conhecer os céus
Desejo apenas explorar esse imenso universo
De pequenas coisas, flores, lagos, mares, raízes
Pássaros, répteis, árvores, folhas

Não faço questão de conhecer os anjos
Ainda que me parecera muito interessante há pouco tempo atrás
Agora, quero conhecer apenas homens e mulheres de verdade
Gente de carne e osso, filhos desse chão em que também piso

Não quero desejar a vida de outro, não, de fato, não
Mas desejo imensamente que haja vida dentro de mim
Uma vida impetuosa, cheia de humanidade e consciência

Desejo amor, amor consciente, consciente amor
Não desejo o que fizeram desse termo
Desejo justamente o que não fizeram dele

Desejo a companhia que se não faça solidão
Desejo o beijo que se não seja indiferença
Desejo o desejo que se não nasça do egoísmo
Desejo o querer legítimo mais do que o desejo

Desejo a individuação que se não faça individualismo
Desejo o orgulho que se não faça egocentrismo
Desejo a paz que se não faça opressão
Quero querer essas coisas mais do que desejo

Não espero o “amigo perfeito”, espero apenas que ele não se diga perfeito
Não espero a “mulher perfeita”, espero apenas que ela tenha consciência e amor pela vida
Não espero o futuro, espero apenas o que está por vir
Não espero coisa alguma, apenas quero a paz da esperança

Amigo, não quero fugir desse mundo
Desejo apenas a calma caminhada
Não peço que me tires daqui
Apenas que me livres do mal

Nele

Nenhum comentário:

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...