terça-feira, 11 de março de 2008

QUERO LHES FALAR SOBRE ELA


Sim. Gostaria de falar sobre a beleza dela, sobre como ela é linda. Sobre o seu olhar que convergi toda a beleza do crepúsculo entre pálpebras tenras. Seus lábios sugerem desejo e aconchego... Num beijo... O sentir de um encontro de corpos que se pedem, que se querem um ao outro, na ponta dos lábios dois universos que se tocam, dois universos que se entornam tornando-se um. Um beijo é solidão e companhia, por isso o desejo de se abraçarem logo após; um beijo é angústia e alegria, por isso o sorriso nos lábios e a ausência no coração. Um beijo, desejo de eterno amor... Eterna a dor de desejar. Gostaria de falar de sua pele macia, roseada e sem par, pele de uma mulher e todas as suas seduções e calor. Seus cabelos, guardas de uma beleza amável: O pescoço de uma mulher. Sim, seus cabelos são belos, gostosamente belos, mas são tão belos assim apenas para chamarem a atenção para sí e não revelarem antes da hora uma beleza ainda mais profunda... Profundo como o abismo do Abismo, profundo como a morte... O amor... Doença saudável que se apega à pele e invadi até o âmago do ser, e se instala irremediavelmente incurável... Não. Não há quem queira se curar de tal saúde para a alma... Recostar-se com o nariz bem junto ao pescoço dela é mais profundo do que qualquer céu ou inferno, mais forte que a morte... Sim, como Vida... Vontade de proximidade de alma... Ternura... Ah! Falar sobre seu rosto me dói a alma por não estar por perto. Apenas lembrar já faz querer estar junto dela. Seu rosto é amável. Olhá-la é desejar cair em profundo silêncio... Me calo apenas... Descanso para a minha alma é ela, e isso me inquieta. Todo o seu jeito de mulher com carinha de menina. Mãos e braços, bocas e lábios...Sim. Com certeza queria vos falar sobre ela. Mas não falo senão sobre mim, sobre “aquela” que habita em mim.“Ela” é coisa minha, da minha mente, feita em moldes meus. Perfeita para mim. “Ela” não existe. Não mesmo.E quem nunca construiu tal “coisa”? Quem nunca ficou acamado por tal doença, em febre contínua e sombria? Quem nunca sonhou com ela? Sorriu em ter pensado encontrá-la em outra pessoa? Quem? Eu, porém, me deixei levar por tal sentimento doentio e insano. Esperei encontrá-la do lado de fora. Não. Não há nada parecido do lado de fora. Não há nada nem ninguém que se pareça com ela. O que existe do lado de fora são apenas pessoas de verdade, mulheres reais com vontades e sentimentos reais, com necessidades reais. Não há nenhum engano do lado de fora, apenas do lado de dentro moram as assombrações e fantasias infindáveis de um ser que ainda não se humanizou. Sim. Tornei-me empedrado com tais construções. Afastei-me das outras porque não se parecia com “Ela”. Entreguei-me ao luxo-imbecilizado de escolher a dedo em comparação com a tal que me habitava. O final foi desastrosamente esmagador de que realmente estive em estado de insanidade mental. Embrutecido em meu narcisismo infantil. Queria ver-me nela, e que ela fosse o que queria que fosse. Não. Não é assim. Não pode ser assim. Senão o que nos restaria seria somente a solidão, de estarmos com nós mesmos de mãos dadas por toda a vida. Sozinhos e solitários por toda a existência. Solidão! Encontrei-a pelo caminho. Ela amiga e sábia me trouxe luz aos olhos. Me trouxe choques de realidade para que eu acordasse. Ainda estou um pouco sonolento. Ainda meio desacordado pelos corredores da vida, dessa casa onde habito. Sim. Acho que lhes falei sobre ela. Creio que vocês sabem quem ela é!Mas ainda quero lhes falar sobre uma outra, quando estiver junto a ela.

Um comentário:

Realidade subjetiva disse...

Solidão a dois,
Saiba meu amigo,
Fico feliz que isso
Não passeie mais contigo.

Que se abra para verdade de um sentimento,
claro que isso te desejo,
mesmo longe e em lamento.

Meu amigo o tempo é meu,
e que o tempo teu conserte teu eu,
pois já não queres o reflexo irreal,
saibas que isso já e um conserto teu.

Me despeço
sabendo que o resto...

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...