quarta-feira, 3 de julho de 2013

O MORALISTA - um espírito antigo.


moralista


Parece-me que houve um que chamou a humanidade a ter o espírito de uma criança, isso porque haviam os "moralistas" chamando a todos a terem o espírito infantil e débil. Tais moralistas se arrogavam de ter a chave da porta para a entrada do saber, contudo, não podiam abandonar suas morais e assim não deixavam ninguém entrar por tal porta e eles mesmos arrogando-se sábios jamais entraram para conhecer a sabedoria. Tornaram-se tolos e, ainda hoje, "incoerência" e "falta de memória" são seus vícios, e tais vícios os prendem aos seus longos conselhos e falatórios em que nem mesmos eles se dão conta de que não movem e não podem mover um dedo na direção do que dizem. Houve um que chamaram de Mestre que convidou a cuidar do próprio coração, porém os moralistas querem ser médicos dos outros. Esse mesmo Mestre ensinou a lembrar-se de onde "eu", convidando ao auto encaramento, cai, porém veio e continua vindo o moralista a dar conselhos e mais conselhos lembrando o outro onde caiu ou pode cair sem se dar conta de que o que diz é projeção de si mesmo mostrando onde ele cairia ou poderia cair se estivesse posto na mesma situação que o outro. A tudo confunde e confundido está até mesmo em ver suas quedas por vias morais e condenar-se a si mesmo a ponto de transferir ao outro um pouco de culpa para que possa carregá-la sem contudo ter que andar arrastando os pés ou mesmo rastejando-se.

Nenhum comentário:

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...