segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

AUSÊNCIA


Lá no fundo do oceano do coração mora um lugar que nem as águas podem atingir, nem os ventos, nem os tempos, nem o medo, nem a valentia, nem coragem, nem covardia. Lá mora um lugar inabitável por coisa alguma a não ser por mim mesmo. Lá mora uma ausência minha, mora eu mesmo. Presente na ausência que me habita. Nem um sorriso pode completar, nem abraço pode envolver, nem um beijo pode encantar... Eterna ausência, sentimento eterno, saudade da eternidade, saudades de mim.

Lá mora uma lembrança do que ainda não conheci, mora um lugar que ainda não habitei, mora uma vida que ainda não vivi... Lembrança, lugar, vida que de alguma forma já experimentei...

Ainda me lembro mas não sei do que.

Ausência de mim... Lá bem no fundo do oceano do meu coração.

Um comentário:

Jonatas disse...

Cara,nem sei oq falar.
Me lembrei d um dia,numa praça:"...eu caçador d mim...".


Ficou lindo seu texto.

Abraço

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...