sexta-feira, 13 de abril de 2012

MENINA…! SEUS OLHOS…

ui (2)

Seu rosto sorri… assim como seus lábios se esticam de alegria.
Assim como seus dentes se tornam exuberantemente formosos de felicidade
Suas sobrancelhas timidamente são gratas por sorrir com você
Todo seu corpo sorri, até mesmo seus ombros se contraem
Seu queixo se afina, a maçã do seu rosto de enche do seu sorriso
...
Mas seus olhos… Ah! Seus olhos! Solitários se recolhem em meio a suas pálpebras. Estas ainda tentam animá-los. Mas eles despistam. Lançam um brilho para além de si, mas neles transparecem algo ainda mais profundo. Algo que o rosto inteiro não compreende. Então sua face convida-o, incentiva-o a entrar nessa alegria na qual todos os seus membros se alegram. Se suas mãos pudessem falar (e falam) diriam aos seus cílios que não era hora para se mostrarem tão eufóricos, não precisavam ter se embelezado tanto assim, pois seus olhos estão à parte de todos os gestos do seu corpo. Estão encolhidos e recolhidos. Se suas mãos pudessem fazer algo por eles certamente lhes enxugaria os cantos marejados. Se ao menos o dedo indicador pudesse reagir ele mesmo se colocaria como um sinal de silêncio em seus lábios e talvez diria: “Escuta, óh lábios, o que os olhos querem falar. Todos nós, os membros do corpo dessa linda menina, estamos em festa, porém, a alma não deixa os olhos festejar".

Nenhum comentário:

DRUMMOND SEM TRIUNFOS

Chega um tempo em que só se diz "meu Deus" Tempo de inabissoluta depuração Tempo em que se diz "meu amor" Pois o...